XLVI CONGRESSO INTERNACIONAL DE AMERICANÍSTICA

XLVI Congresso Internacional de Americanística

organizado pelo

Centro Studi Americanistici “Circolo Amerindiano” Onlus

 

A conferência foi organizada graças à contribuição de
Direzione Generale Educazione, Ricerca e Istituti Culturali

XLVI Congresso Internacional de Americanística

organizado pelo

Centro Studi Americanistici “Circolo Amerindiano” Onlus

O CONGRESSO INTERNACIONAL DE AMERICANÍSTICA, evento anual que ocorre ininterruptamente desde 1979, foi criado para fornecer um lugar de encontro e troca dentro das diversas experiências americanísticas, quer disciplinares, quer geográficas. Em vista disso, não há sessões paralelas e as apresentações são sempre discutidas em sessão plenária.

O Congresso articula-se em sessões propostas e coordenadas por americanistas de várias nacionalidades. As temáticas abrangem diversos assuntos e áreas disciplinares:

da arqueologia à antropologia, da linguística à sociologia, dos direitos das populações indígenas à arte, da arquitetura à política, dos estudos religiosos à história.

Ao Congresso participam estudiosos do mundo inteiro e seus trabalhos apresentados em forma escrita são, em seguida, objeto de avaliação duplo-cega e, se aprovados, publicados.

O Congresso sempre teve Perugia como sede principal, mas há muitos anos acontece em dias de seminário nas Universidades de Salerno e Pádua, no Instituto Italiano Latino-Americano de Roma, em nossa sede da Argentina em Córdoba (Argentina). Ademais, periodicamente tem uma segunda sede em países das Américas.

O Congresso, assim como toda a atividade do Centro Studi, não tem fins lucrativos. Todos os proventos, de qualquer origem e natureza, são utilizados para o funcionamento do próprio Congresso.

 

PRESIDÊNCIA
Romolo Santoni

 

VICE-PRESIDENTE
Carlo Mearilli

 

COMITÊ CIENTÍFICO

Claudia Avitabile
Paride Bollettin

Beatriz Calvo Pontón
José Carlos Castañesa Reyes

Antonino Colajanni
Davide Domenici
Piero Gorza
Rosa Maria Grillo
María Teresa Muñoz Espinosa

Giuseppe Orefici
Edmundo Antonio Peggion
María Lina Picconi
Cristina Victoria Pizzonia Barrionuevo

Thea Rossi

Mario Humberto Ruz Sosa
Romolo Santoni
Felice Scauso
Paola Sesia
Francisco Tovar Blanco
René Valdiviezo Sandoval
Luis Alberto Vargas (‡)

 

COORDENAÇÃO DA SECRETARIA ORGANIZADORA

Hélène D’Angelo, Maria Luisa De Filippo, Elsa López, Lady Saavedra (convegno@amerindiano.org)

 

SECRETARIA ORGANIZADORA

Sara Belardinelli, Ravi Fabrini, Sonia Margaritelli, Francesca Márquez, Anna Marie Kolarov, Klara Kundelova, Igor Mosca, Clara Migotto, Massimiliano Santoni, Filippo Sabbatini.

 

ASSESSORIA DE IMPRENSA
Hélène D’Angelo, Maria Luisa De Filippo

 

GRÁFICA
Lady Saavedra

 

WEB DESIGNER
Alessandro Palazzetti

​​O Congresso, organizado pelo Centro Studi Americanistici “Circolo Amerindiano”, acontecerá em Perúgia (Itália), desde o dia 6 até o dia 11 de maio de 2024.

A organização se reserva o direito de mudar a data e a duração do Congresso e de designar outras sedes, além daquela de Perúgia.

Além disso, terão lugar os seguintes seminários:

Padova, 13 de maio de 2024: Seminário América indígena e estados-nação: temas e problemas;

Salerno, 15-17 de maio de 2024: Jornadas de literatura hispanoamericana;

Córdova (Argentina), 18 de maio de 2023: Seminário de etnomusicologia;

As línguas oficiais do Congresso serão: francês, inglês, italiano, português espanhol,e todas as línguas ameríndias.

 

PALESTRAS E SESSÕES DO CONGRESSO

O Congresso será articulado em diferentes sessões com temas específicos, além de uma sessão não ser temática.

Os coordenadores que já realizaram sessões na edição anterior podem propô-la novamente no atual Congresso.

É possível propor novas sessões que serão sujeitas à análise do Comité Científico do Congresso.

A aprovação de todas as sessões, sejam estas apresentadas no congresso atual ou no anterior, estarão subordinadas ao parecer do Conselho Diretor.

Para apresentar uma nova proposta de sessão é preciso ser sócio do Centro Studi Americanistici “Circolo Amerindiano” em conformidade com a cota 2023 e 2024 e enviar até 15 de novembro de 2023 para o endereço convegno@amerindiano.org:

  • um resumo do tema da sessão (entre 800 e 1200 caracteres, espaços incluídos);
  • um currículo detalhado do coordenador (ou coordenadores);
  • uma carta de apresentação do coordenador (ou coordenadores) por parte de americanistas reconhecidos a nível internacional, ou de um membro do Comitê Científico do XLV Congresso Internacional de Americanistica.

Cada sessão comporta de 3 a 6 palestras.

As propostas de palestras devem ser inéditas e não devem ter sido apresentadas em outros congressos; devem ser apresentadas pessoalmente.

Os ensaios podem ser apresentados em pessoa (em conformidade com os regulamentos anti_COVID 19) ou electronicamente através da plataforma Zoom.

Ao inscreverem-se, os oradores devem indicar no formulário de inscrição qual destes dois métodos pretendem utilizar.

Cada relator pode dar apenas uma palestra.

O tempo máximo concedido a cada palestra será de 20 minutos, salvo diferente comunicação por parte da organização.

Todas as despesas de viagem, alojamento e alimentação estarão a cargo do participante.

 

INSCRIÇÕES E FREQUÊNCIA NO CONGRESSO

É permitido assistir ao Congresso gratuitamente; entretanto, para apresentar um trabalho, receber o certificado de participação e para receber os atos, é necessário efetuar e pagar a inscrição.

O prazo final para participar enquanto relator no Congresso foi fixado para o dia 31 de janeiro de 2024.

A inscrição deve ser feita enviando o respectivo formulário que estará presente neste site a partir do dia 15 de dezembro de 2023, com a lista das sessões aceites. O formulário será considerado válido somente se for exaustivo, incluir os dados necessários e compreender um resumo de 400 caracteres no mínimo e 800 caracteres no máximo (espaço incluído) e curriculum vitae detalhado, autodeclaração de residência, cópia do documento de identidade. O formulário será enviado ao coordenador da sessão da qual se requer a participação e simultaneamente à secretaria do Congresso. Caso o considere oportuno, o coordenador poderá requerer a documentação suplementar.

A inscrição no Congresso como relator não é automática, mas depende da aceitação por parte do coordenador da sessão. Os coordenadores deverão comunicar às pessoas que enviaram uma proposta de participação a aceitação ou não da mesma entre o dia 1 e o dia 7 de fevereiro de 2024.

Até 7 dias após o aviso de aceitação do coordenador, o participante deverá efetuar o pagamento da cota de inscrição, sob pena de exclusão do programa. Imediatamente após a realização do pagamento, o participante deverá enviar à secretaria do congresso (convegno@amerindiano.org) um aviso especificando o valor e a data do depósito efetuado, junto com a indicação do titular da fatura (entidade pública ou privada).

No caso de impossibilidade de participar dos trabalhos do Congresso, será reembolsado ao participante 50% da taxa de inscrição, mas para isso é necessário comunicar à secretaria do Congresso até o dia 1 de março de 2024. Depois desta data, a taxa não será mais reembolsada.

A versão provisória do programa será enviada aos participantes até 15 de março de 2024.

A taxa de inscrição ao Congresso para o relator participante é de 150,00 EUR.

Se um trabalho for apresentado por dois ou mais co-autores, o primeiro autor da palestra paga a taxa inteira.

Os outros autores podem escolher entre duas modalidades de inscrição:

– o co-autor que participa pessoalmente nos trabalhos do Congresso e nos eventos sociais pagará uma taxa de 90,00 EUR.

– o co-autor que não participa pessoalmente no Congresso pagará uma taxa de 45,00 EUR.

Nos dois casos, os co-autores devem preencher o formulário de inscrição.

Para os relatores sócios do Centro Studi Americanistici “Circolo Amerindiano” nos anos 2023 e 2024 – em conformidade com o seu pagamento – o valor da inscrição no Congresso é reduzido em 50%.

Os estudiosos, sócios do Centro Studi Americanistici “Circolo Amerindiano”, podem propor trabalhos de seus alunos.

Caso o coordenador da sessão em que se pretende apresentar o trabalho aprove a proposta, o estudante poderá se inscrever no Congresso pagando somente 50% da taxa.

Os membros da Secretaria Organizadora estão isentos do pagamento da taxa de inscrição para relatores. Para participar da Secretaria Organizadora é necessário solicitar à Coordenação do Congresso (convegno@amerindiano.org) e assegurar sua presença durante todo o Congresso. O acolhimento da solicitação está subordinado à aprovação da Coordenação da Secretaria Organizadora.

A inscrição no Congresso para os que não serão relatores é de 20,00 EUR e dá direito a receber o certificado de participação.

A inscrição no Centro Studi Americanistici “Circolo Amerindiano” para o ano de 2023 e para o ano 2024 é de 70,00 EUR.

O valor da inscrição deverá ser pago através de um depósito na conta corrente bancária em nome do Centro Studi Americanistici Circolo Amerindiano, na UniCredit, Agência Perugia via Mario Angeloni:

 

Número de conta:

IBAN IT 42 A 02008 03033 000029489801

Codice BIC / SWIFT: UNCRITM1J03

Endereço do banco: Via Mario Angeloni 76 – 06124 Perugia

ATENÇÃO: em caso de pagamento através do banco, eventuais comissões deverão ser integradas no momento do registo, na chegada à sede do Congresso.

 

Como alternativa, apenas para aqueles que não se encontram na Itália, é possível efetuar o pagamento através do Paypal.

È obrigatório indicar como objeto do pagamento o nome e o sobrenome do apresentador que participará ao XLV Congresso, especialmente se o pagamento é efetuado por terceiros.

 

PARTICIPAÇÃO NOS SEMINÁRIOS

Para obter informações sobre a participação nas Jornadas de literatura hispano-americana (Salerno, 15 - 17 maio de 2023) podem escrever à

  • Centro Studi Americanistici “Circolo Amerindiano di Salerno” (circoloamerindianosa@tiscali.it)
  • Carlo Mearilli (carlo.mearilli@libero.it)”
  • Rosa Maria Grillo (grillovov@gmail.com).

Para informações sobre o Seminário de Padova, o Seminário de etnomusicologia de Córdova e as Jornadas de Americanística de Ciudade do México, por favor entrar em contato com a Secretaria Organizadora do Congresso (convegno@amerindiano.org).

 

PUBLICAÇÃO

Os que realizarem pessoalmente a apresentação durante os trabalhos do Congresso podem apresentar os trabalhos por escrito para serem publicados, após aprovação do texto pelo coordenador da sessão em que se participou e de dois referee externos, na revista Thule, rivista italiana di studi americanistici.

Sob pena de exclusão, as intervenções deverão ser redigidas segundo as normas tipográficas da Thule, que os relatores receberão por e-mail pelo Comitê de Redação, e deverão ser enviadas aos coordenadores até 30 de junho de 2024.

Lembre-se que a revista Thule prevê arbitragem duplo-cego.

O título do artigo deve ser o mesmo publicado no programa e na mesma língua.

Durante a fase de apresentação do texto escrito podem ser feitas pequenas mudanças no resumo, desde que não alterem a essência do trabalho apresentado e que sejam autorizadas pelo coordenador.

Sob pena de exclusão, as intervenções devem permanecer totalmente inéditas até a publicação na revista Thule e após essa data podem ser publicadas somente citando o volume de Thule, onde foram publicados.

Os textos que não respeitarem as normas citadas serão excluídos da publicação.

O volume de Thule estará disponível para a leitura on-line em um local dedicado do site www.amerindiano.org com livre acesso.

Além disso, a cópia estará disponível para a compra pública em forma de e-book e em papel.

 

PROGRAMA

O programa definitivo do Congresso será publicado no site www.amerindiano.org com os horários das apresentações e das demais atividades até 1 de abril 2024.

 

1) DISCURSO SOBRE O MÉTODO

ROMOLO SANTONI (CENTRO STUDI AMERICANISTICI “CIRCOLO AMERINDIANO”) romololmeca@hotmail.com

Naturalmente o título quer homenagear o grande René Descartes evidenciando a grande dívida intelectual que a ciência ocidental tem com ele.Os estudos americanísticos sempre se distinguiram, não somente pelo carácter de possibilidade da interdiciplinaridade de sua matéria, mas também pela necessidade de uma visão multi e interdisciplinar. Este aspecto consegue, por um lado, que as investigações que se realizam em tal âmbito se abram a um enriquecimento multiplo e, por outro, põe muitos problemas no tratamento dos dados.Em contextos onde a interdisciplinaridade se converte em algo essencial e a precisão do método se esclarece em diferentes perspectivas; os vínculos não são somente portadores de encontros rentáveis, intercâmbios e debates, mas, também de perigosos equilibrismos teóricos (as vezes com sérias repercussões sobre o plano prático).Por exemplo, um intenso debate divide linhas de investigações, que também no método aplicado encontram o limite entre estas e os respectivos âmbitos de ação.O estudo do método, aspecto peculiar da filosofia ocidental desde Cartesio adiante, se revela na atividade americanística muito mais que imprescindível. Para a qual resulta necessário propor um momento de reflexão antes da pesquisa, que evidencie as perspectivas e limites metodológicos.

 

2) A AMAZÔNIA INDÍGENA E AS TERRAS BAIXAS DA AMÉRICA DO SUL

PARIDE BOLLETTIN (DEPARTMENT OF ANTHROPOLOGY, FACULTY OF SCIENCE, MASARYK UNIVERSITY AND METRO STUDI AMERICANISTICI “CIRCOLO AMERINDIANO”) paride_bollettin@msn.com EDMUNDO ANTONIO PEGGION (UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA “JÚLIO DE MESQUITA FILHO”, BRASIL) edmundopeggion@gmail.com

Na Amazônia e nas Terras Baixas Sul Americanas reside uma multiplicidade de povos indígenas, cada um com sua história, sua organização social, seu mundo simbólico, seu ecossistema e suas especificidades. De povos em “isolamento voluntário” a povos que enfrentam há mais de cinco séculos a invasão colonial, suas lutas e resistências são provas de sua vitalidade e de sua força. Essas lutas assumem, na atualidade, aspectos inovadores de afirmação ontológica e epistemológica, projetando novas demandas ecológicas, territoriais, acadêmicas e políticas. Na sessão temática queremos debater sobre e com os povos da Amazônia e das Terras Baixas sulamericanas a partir da multiplicidade de perspectivas e experiências através das quais estes povos reafirmam suas vivências e lutas. Pretendemos que seja um campo de discussão que contemple, também, um diálogo com as proposições conceituais elaboradas por intelectuais indígenas.

 

3) DIREITOS INDÍGENAS: UMA DISCUSSÃO TRANSNACIONAL

MARIA LUISA DE FILIPPO, LADY SAAVEDRA, (CENTRO STUDI AMERICANISTICI “CIRCOLO AMERINDIANO” ONLUS) convegno@amerindiano.org

O objetivo desta sessão é apresentar um debate interdisciplinar sobre o tema dos direitos indígenas.Aprovada em 2007, a Declaração da ONU sobre os Direitos dos Povos Indígenas tem como principal meta o respeito à autodeterminação. O empenho e o desafio diante de tal proclamação consiste na sua aplicação em conjunto com outras medidas, que tenham o mesmo propósito, nos contextos nacionais da América Latina.Como os estados nacionais negociam com essas medidas aprovadas e assinadas pela maioria dos países da América Latina? De que modo as associações indígenas reivindicam seus direitos e o respeito às diversidades culturais perante as constituições nacionais? Quais são os principais conflitos? Questões como autedeterminação, diversidade e identidade cultural são os principais temas que propomos nesta sessão.

 

4) MIGRAÇÕE RELAÇÕES NOMADISMOS ENTRE EUROPA E AS AMÉRICAS

THEA ROSSI (CENTRO STUDI AMERICANISTICI “CIRCOLO AMERINDIANO” – UNIVERSITÀ DEGLI STUDI “G. D’ANNUNZIO” CHIETI-PESCARA, ITALIA) thearossi@yahoo.it

A sessão pretende analisar os movimentos e os fluxos de ideias, de objetos e de capital humano que caracterizaram a história das relações transatlânticas entre a Europa e as Américas.Três as focalizações que queremos privilegiar, através de uma perspectiva com a finalidade de promover o dialogo multidisciplinar.Em primeiro lugar as dinâmicas e os processos reais e simbólicos que caracterizaram o fenômeno migratório em direção ao continente americano no século passado, sobretudo entre os dois conflitos mundiais e, ao mesmo tempo, o respectivo movimento de retorno, referido em particular modo nos últimos trinta anos, e causado por fatores de conjuntura socio-políticos e econômicos.Em segundo lugar, as relações que entrelaçam os dois contextos, criando um patrimônio material e imaterial comum. Além dos bens e manufaturados levaremos em conta, em particular, a criação de um imaginário coletivo. Enfim, a reflexão se estenderá aos nomadismos da época da mundialização: o constante fluxo de recursos humanos, a negociação e o contato entre culturas juntamente às possíveis novas formas de integração orientadas a conjugar o local e o global.

 

5) ETNOMUSICOLOGIA E INTERCULTURALIDADE: SOBREVIVÊNCIA PERSISTÊNCIA E NOVAS CONTRIBUIÇÕES DA MÚSICA E DAS DANÇAS TRADICIONAIS NA AMÉRICA

MARÍA LINA PICCONI (CENTRO STUDI AMERICANISTICI “CIRCOLO AMERINDIANO”) lina_455@yahoo.com

É tarefa da etnomusicologia responder a uma série de questões que a humanidade se tem colocado ao longo da história: quem cria música? Como ele é criado? Para quem? Para que? Tendo em conta a falta de informação sobre o mundo da música tradicional, cujas características vão desde a variedade à subtileza das expressões musicais, proponho a abertura desta sessão. Ainda existem expressões musicais ou de dança na América, cujas raízes se estenderiam aos tempos pré-colombianos e proviriam de uma arte milenar cujo significado seria esquecido. O advento da globalização e novas contribuições interculturais contribuíram para o nascimento de muitas daquelas expressões musicais principalmente urbanas que tendem, como em outras partes do mundo, a padronizar particularismos locais. Por esta razão, é essencial hoje em dia registar e investigar estas expressões, para que a memória não se perca com o desenvolvimento do mundo globalizado.

 

6) IMAGINÁRIO E MEMÓRIA: ESTUDOS CULTURAIS

ELSA LÓPEZ (CENTRO STUDI AMERICANISTICI “CIRCOLO AMERINDIANO”) convegno@amerindiano.org

Esta mesa tem um carater interdisciplinar que possui como principal objetivo apresentar estudos sobre as diversidades culturais que tenham como expressão todas as formas de representação.Sabemos que é por meio das representações sociais e individuais que podemos localizar as formações, transformações e ressemantizações identitárias que têm como característica de ser polissêmica e portanto polifônica. Por essa razão, a interdisciplinariedade não é um intrumento de trabalho mas uma teoria que tem por finalidade estudar os símbolos chaves culturais, de como são percebidos, concebidos e representados.Contemplamos todos os tipos de manifestações culturais pelo fato de que entendemos que as subjetividades culturais estão representadas nas formas literárias, cinematográficas, artísticas e que os estudos das representações culturais não é somente monopólio das disciplinas concebidas para esse fim.

 

7) QUESTÕES DE ANTROPOLOGIA MÉDICA NO CONTINENTE AMERICANO

PAOLA MARIA SESIA (CENTRO DE INVESTIGACIONES Y ESTUDIOS SUPERIORES EN ANTROPOLOGÍA SOCIAL CIESAS UNIDAD PACÍFICO SUR) paolasesia@yahoo.com.mx

Construir uma sessão dedicada à antropologica médica no âmbito latino-americano significa dar voz as múltiplas concepções e práticas em torno aos conceitos de saúde e doença presentes em tais contextos através de uma perspectiva histórica que tenha conta do presente como do passado. As relações hegemônicas que existem entre a biomedicina e as múltiplas respostas de saúde “locais e tradicionais” constituem um exemplo dos mais importantes âmbitos de interesse dessa disciplina.Levando em conta as experiências e as elaborações teóricas das diversas tradições dessa prespectiva, se assume o objetivo de constituir um útil espaço de diálogo e de confronto para a comunidade americanista atualmente empenhada em tal âmbito de estudo.Além disso, vista a experiência realizada por essa sessão nas edições anteriores do Congresso Internacional de Americanística, se quer favorir um espaço de debate como terreno de construção de reflexões comuns que possam depois ter uma recaída operativa sobre o tecido social dos contextos examinados.

 

8) POLÍTICAS PÚBLICAS INSTITUIÇÕES E DEMOCRACIA NA AMÉRICA LATINA

BEATRIZ CALVO PONTÓN (CENTRO DE INVESTIGACIONES Y ESTUDIOS SUPERIORES EN ANTROPOLOGÍA SOCIAL, MÉXICO) beatrizcalvo_mx@yahoo.com

O modelo neoliberal, nos países latinoamericanos, têm levado consigo o retiro do Estado de responsabilidades sociais e de funções prioritárias, assim como a instrumentação de reformas extruturais as quais tentam fazer de modo tal que as sociedades se organizem com os critérios do livre mercado. Observamos algumas consequências: redução, privatização e aumento dos serviços públicos relativos à educação e à saúde, aumento da desigualdade e da pobreza e fortalecimento do monopólio nos setores chaves da economia e dos meios de comunicação, os quais interferem sempre mais nos processos políticos e no desenho das políticas públicas.A redefinição das políticas sociais orientou-se no campo social por meio de critérios de focalização nos grupos de extrema pobreza, porém, ao mesmo tempo, reduziram-se os recursos que permitem de progredir em direção à universalização dos direitos sociais.Por outro lado abriram-se espaços nos quais nasceram instituições autônomas ligadas a temas como direitos humanos, transparência e controladoria social. Na sociedade civil cresceu o número de organizações que lutam pela democratização das instituições e a melhoria dos serviços sociais. A conjunção desses processos mudou substancialmente a face das sociedades latinoamericanas.

 

9) ELEIÇÕES E PARTES NA AMÉRICA LATINA

RENÉ VALDIVIEZO SANDOVAL (Universidad Iberoamericana Puebla, México) valdiviezo.rene@gmail.com

Nossa região vive de maneira regular, desde o fim das ditaduras, processos eleitorais que lhes permitem renovar autoridades e representantes populares geralmente de forma pacífica. De uma ótica liberal (ou neoliberal), esses processos são a expressão de existência da vida democrática nas nações. A partir de visões mais críticas, os processos eleitorais cada vez mais se convertem em rituais para a manutenção no poder de correntes políticas que não representam a população e utilizam esses processos para legitimar sua permanência no poder, o que conseguem, por vezes, através de mecanismos extra-legais. Esta exposição busca gerar uma discussão sobre as eleições na América Latina, em seus três (ou quatro) níveis, sobre a ação político-eleitoral (competência, resultados, conflitos, campanhas e sua relação com outros aspectos da vida social), sobre os atores político-eleitorais (partidos, grupos sociais e autoridades), e sobre a formação dos poderes nacionais/regionais/locais, sobre a base dos processos eleitorais. Embora se prefira estudos atuais, serão aceitos trabalhos históricos.

 

10) O TEXTO TEATRAL ENTRE A LITERATURA E O PALCO

ROSA MARIA GRILLO (UNIVERSITÀ DEGLI STUDI DI SALERNO – CENTRO STUDI AMERICANISTICI “CIRCOLO AMERINDIANO” DI SALERNO) grillovov@gmail.com

A queda das barreiras normativas entre géneros literários tem favorecido uma notável fluidez entre a literatura narrativa e poética e a representação teatral e cinematográfica, desencadeando um acalorado debate sobre a relação entre evocação/descrição/representação. A passagem de um código a outro implica naturalmente uma complexa operação de leitura e interpretação, até chegar à tradução intersemiótica que nos interessa aqui analisar em seu conteúdo e aspectos formais. Outro aspecto interessante está certamente ligado à estética da recepção e ao horizonte de espera do leitor/espectador.

 

11) LITERATURA DAS AMÉRICAS: SESSÃO SEM TEMA

ROSA MARIA GRILLO (UNIVERSITÀ DEGLI STUDI DI SALERNO – CENTRO STUDI AMERICANISTICI “CIRCOLO AMERINDIANO” DI SALERNO) grillovov@gmail.com

 

12) ARQUEOLOGIA DAS AMÉRICAS: ENTRE A CULTURA MATERIAL E AS REPRESENTAÇÕES SIMBOLICAS

MARÍA TERESA MUÑOZ ESPINOSA (DIRECCIÓN DE ESTUDIOS ARQUEOLÓGICOS, INAH) munoz7576@yahoo.com JOSÉ CARLOS CASTAÑEDA REYES (UNIVERSIDAD AUTÓNOMA METROPOLITANA-IZTAPALAPA, MÉXICO) mrwti@xanum.uam.mx

As antigas culturas e civilizações americanas, desde a sua chegada ao Continente até o momento do contato com outros europeus, tomaram ou produziram em seus meios a base material que lhes permitiu criar as grandes manifestações de pensamento, da arte ou da simples vida quotidiana dos povos que habitaram no continente, e que se impressionaram com a rica história da antiga América, desde o Estreito de Bering até a Terra do Fogo.Este encontro apresenta-se como um ponto de encontro entre diferentes experiências de pesquisa arqueológica no continente americano, em especial na área da Mesoamérica e na área Central Andina e na Amazônia. Em toda a América, os símbolos associados à icnografia religiosa e artística são aspectos que a Arqueologia recupera, compara e explica, para compreender e fazer compreender a nossa história antiga.O diálogo acadêmico que se manifesta tem como objetivo ser um ponto de encontro onde se discutem os progressos dos projetos de pesquisa arqueológica em curso nos diferentes cenários americanos, ou os novos estudos e interpretações que se baseiam nas artes plásticas ou testemunhas escritas, entre outros. Propõe-se criar um ponto de encontro frequente onde se apresentem e se analisem diferentes aspectos – teóricos, metodológicos, factuais – da arqueologia do nosso continente.

 

13) MÉTODO, DESIGN E PLASTICIDADE DO ESPAÇO RELIGIOSO CONTEMPORÂNEO NA AMÉRICA LATINA: EXPRESSÃO SOCIAL MATERIALIZADA NOS SÉCULOS XX-XXI

MARÍA CRISTINA VALERDI NOCHEBUENA (BENEMÉRITA UNIVERSIDAD AUTÓNOMA DE PUEBLA, MÉXICO) crvalerd@gmail.com

A expressão social religiosa foi manifestada no templo como um espaço material de celebração de uma congregação de pessoas reunidas para celebrar um ritual de adoração e doutrina, que sofreu mudanças devido ao significado cultural e religioso, e que expressou influxos de renovação e a aplicação de diretrizes indicadas na maneira de construí-lo e que são o motivo de experiências que promovem a diversidade de plasticidade, estilos e disposições espaciais. Por isso, convidamos a enviar contribuições que mostrem espaços para a experiência de encontro e construção, que capturem linguagens plásticas de aspectos visíveis, artísticos e folclóricos, que tratem da manifestação histórica, artística e social através do estudo das transformações que o espaço religioso experimentou na América Latina no século XX-XXI, mantendo uma perspectiva inter e multidisciplinar que combina história, antropologia, arquitetura, artes plásticas e teologia, oferecendo um espaço de reflexão para especialistas internacionais no estudo de método, design e do plástico como expressão social materializado em espaços religiosos.

 

14) FESTAS EM AMÉRICA LATINA: PRÁTICAS, PATRIMÓNIO CULTURAL, MODELOS DE GESTÃO DO ESPAÇO

DANIELA SALVUCCI (Libera Università di Bolzano, Italia) salvuccidana@gmail.com TOBIAS BOOS (Libera Università di Bolzano, Italia) tobiboos@gmail.com

Esta sessão examina o papel das festas latino-americanas, tanto na articulação entre diferentes entidades sócio-culturais (bairros, associações, município, etc.) da cidade e dos seus arredores, como na construção de identidades (étnicas, sincréticas, mestiças, regionais, nacionais, etc.). Será prestada especial atenção às práticas (desfiles, faces, representações, etc.), aos modelos espaciais (lugares com a nova semântica, lugares ocupados, o espaço publico que transforma-se em privado) e temporais da festa. Terá-se em consideração mesmo os processos de capitalização cultural da festa, sublinhando o papel dos meios de comunicação e do turismo. A primeira hipótese para começar a discussão é que herança festiva é um campo de negociação social, cultural e política. Outra hipótese é que as festas permitem a construção de identidades novas e inclusivas, plurais e hibridizadas a partir da fusão de diferentes formas urbanas e rurais de vida. Vai acolher estudos empíricos e considerações teóricas para desenvolver comparações interculturais de sistemas festivos.

 

15) ESTUDOS DE GÊNERO: TENDÊNCIAS E DESAFIOS TEORICO-METODOLÓGICOS PERANTE A DIVERSIDADE SOCIO-CULTURAL DA AMÉRICA !

MARTHA ESTELA PÉREZ GARCÍA (UNIVERSIDAD AUTÓNOMA DE CIUDAD JUÁREZ, MÉXICO) meperez@uacj.mx

As origens dos Estudos de Gênero estão ligados ao movimento feminista. Esta relação constitui não só uma forma de ação socio-política, mas gera também uma atividade científica e novos enquadramentos analíticos. A investigação com perspectiva de gênero questiona as visões neutrais e androcêntricas de observar o mundo e, partindo da categoria de gênero como unidade de análise, explica as condições de desigualdade, subordinação e discriminação em que vivem mulheres e homens. Para isso toma em conta diversos condicionamentos que cruzam os/as sujeitos como idade, origem étnica, classe social, religião, localização geográfica, orientação sexual, etc. De modo que se torna importante analisar e discutir as tendências e desafios atuais dos Estudos de Gênero, com o escopo de conhecer qual o seu estado e quais são os contributos que esta linha teórica traz à América. Temáticas de vida cotidiana, mercado laboral, saúde, educação, sexualidade, participação política e social, quadro legal, meio ambiente, violência doméstica e sexual, entre outros, constituem apenas alguns dos campos que se estudam sob diversos eixos disciplinares como sejam estudos culturais, antropológicos, políticos, históricos, económicos, jurídicos, de comunicação, psicológicos, de educação, religiosos, etc.

 

16) OS SISTEMAS COMPLEXOS NA PESQUISA SOCIAL

CRISTINA PIZZONIA (UNIVERSIDAD AUTÓNOMA METROPOLITANA. UNIDAD XOCHIMILCO) pizzonia@hotmail.com, ÁNGEL JOSÉ MARTÍNEZ SALINAS (UNIVERSIDAD AUTÓNOMA METROPOLITANA. UNIDAD XOCHIMILCO) anuamtz@gmail.com

Esta sessão tem como objetivo explicar as dinâmicas sociais a partir da visão e formalização de sistemas complexos, na medida em que permitem a criação de uma teoria transdisciplinar e integradora de diferentes conhecimentos; usando métodos que identificam as variáveis ​​nos espaços de configuração que podem ser modelados. Esses modelos permitem, antes de tudo, esclarecer as interdependências invisíveis, bem como a construção de novas hipóteses de pesquisa usando métodos emprestados da matemática e da física, com a ajuda de técnicas computacionais. Nesse contexto, é pertinente discutir se, ao formalizar a complexidade, se identificam conhecimentos diferentes daqueles que obteríamos através de explicações lineares de causa e efeito; considerando a possibilidade de refletir sobre o modo como nos sistemas complexos do continente americano podem se achar articulações, ausentes até agora, formalizando assim pensamentos holísticos. Nesta sessão, os participantes são convidados a apresentar pesquisas baseadas nas Ciências da Complexidade, enriquecendo esta área de pesquisa com suas experiências.

 

17) O ESTUDO METÓDICO DA ESCRITA INDÍGENA TRADICIONAL, DÉCADAS APÓS SUA CRIAÇÃO

RITA FERNÁNDEZ DÍAZ (JOAQUÍN GALARZA A. C., MÉXICO), ritafernandez88@yahoo.com.mx, MIGUEL ÁNGEL RECILLAS (INSTITUTO DE INVESTIGACIONES ANTROPOLÓGICAS, UNAM; ESCUELA NACIONAL DE ANTROPOLOGÍA E HISTORIA, MÉXICO) mareg6@gmail.com

Esta sessão tem como objetivo apresentar os resultados de pesquisas realizadas em documentos pictóricos indígenas tradicionais, comumente conhecidos como códigos, nos quais é necessário estabelecer, de modo claro, o método e a metodologia utilizados como ferramenta de estudo. Os manuscritos pictóricos são considerados discursos indígenas, dada sua origem; populares, pelo próprio processo de produção e recepção; tradicionais, por sua circulação e históricos, por temas, estrutura e função a eles atribuídos.

Os códigos são concebidos como escritos, cujos processos de significação explicam situações comunicativas características do grupo sociocultural que os produziu: a análise interdisciplinar torna-se assim um imperativo, que tenta trabalhar boa parte de sua estrutura, função e significado, embora não esgote as possibilidades textuais.

Contemplamos o método galarziano, criado pelo cientista Joaquín Galarza; e várias contribuições de linguistas que apoiaram a semiótica greimasiana, a qual fornece os elementos para a Semiótica do Discurso, tal como a conhecemos hoje.

 

18) AFETIVIDADE E SUBJETIVIDADE NAS CIÊNCIAS SOCIAIS, NOVAS PERSPECTIVAS NOS ESTUDOS AMERICANÍSTICOS

DIANA TAMARA MARTÍNEZ RUÍZ (ESCUELA NACIONAL DE ESTUDIOS SUPERIORES UNIDAD MORELIA) tamara_martinez@enesmorelia.unam.mx

Uma das dimensões mais íntimas dos seres humanos é a emocional, no entanto é uma das temáticas, que foi deixada de lado por parte das ciências sociais em geral. O estudo dos afetos e das emoções na sua dimensão social é relativamente novo e implica a consideração dos aspectos sociais e culturais das emoções, ou seja a investigação e a análise da maneira com a qual nós aprendemos a sentir e exprimir as emoções. Seguindo essa ideia, é possível ligar a dimensão emocional ao âmbito da subjetividade e entrar portanto em um terreno mutável e ambíguo do ser, de onde começamos a reconhecer que o processo de consciência implica uma relação complementar e dialética entre as dimensões que foram erroneamente separadas e caracterizadas como objetivas ou subjetivas. Assim, nesta sessão procuramos: em geral, enriquecer a discussão sobre esses temas, até agora marginais nos estudos de Americanística, e em particular ampliar a visão das ciências sociais e humanísticas em relação aos afetos nas mais importantes questões da América  Latina.

 

19) COMUNICAÇÃO, MÍDIAS E ESTUDOS AMERICANISTAS: PERSPECTIVAS TRANSDISCIPLINARES, INTERSECCIONAIS E EMERGENTES

BRUNA ALMEIDA PARONI (UNIVERSITÀ DEGLI STUDI DI URBINO “CARLO BO” / CENTRO STUDI AMERICANISTICI “CIRCOLO AMERINDIANO”) bparoni@gmail.com

As recentes inovações tecnológicas e transformações sociais têm profundamente impactado a comunicação nas diversas realidades que compõem as Américas atualmente.

O objetivo desta sessão é explorar o encontro dinâmico entre os estudos americanistas, a comunicação e as novas e tradicionais mídias. Por meio de uma lente transdisciplinar e interseccional, serão analisados os desafios que surgem ao considerar os cruzamentos de saberes, línguas e linguagem, povos, representações e comunicação nas Américas de ontem e de hoje. O objetivo final é promover uma compreensão mais profunda dessa dinâmica, abrindo assim novas perspectivas para a pesquisa em comunicação no âmbito dos estudos americanistas. Durante a sessão, poderão ser apresentados trabalhos que abordem tópicos nas áreas dos Estudos da Internet, Sociologia da Comunicação e Processos de Comunicação, Ativismo Digital, e naturalmente, Estudos do Jornalismo, Comunicação Política, entre outros.

 

20) SESSÃO NÃO TEMÁTICA

CENTRO STUDI AMERICANISTICI “CIRCOLO AMERINDIANO” convegno@amerindiano.org

O valor da inscrição deverá ser pago através de um depósito na conta corrente bancária em nome do Centro Studi Americanistici Circolo Amerindiano, na UniCredit, Agência Perugia via Mario Angeloni:

 

Número de conta:

IBAN IT 42 A 02008 03033 000029489801

Codice BIC / SWIFT: UNCRITM1J03

Endereço do banco: Via Mario Angeloni 76 – 06124 Perugia

 

ATENÇÃO: em caso de pagamento através do banco, eventuais comissões deverão ser integradas no momento do registo, na chegada à sede do Congresso.

 

Como alternativa, apenas para aqueles que não se encontram na Itália, é possível efetuar o pagamento através de Paypal.

È obrigatório indicar como objeto do pagamento o nome e o sobrenome do apresentador que participará ao XLIV Congresso, especialmente se o pagamento é efetuado por terceiros.



XLVI Congresso Intercional de Americanística